Herança de Sangue - Jéssica do Nascimento

Concluí a leitura de Herança de Sangue no começo deste ano e já fiquei bem ansiosa para conversar sobre este livro. Então, hoje, na primeira resenha do ano, gostaria de trazer tudo que achei da narrativa escrita pela Jéssica do Nascimento.

Sophie Cacciatore é uma jovem com mais ou menos 18 anos, que foi prometida a um feérico devido aos seus antepassados. Porém, assim como qualquer outra de sua idade, não quer se casar por obrigação, mas com o amor verdadeiro.

Levada para a casa de Allan, ela precisa entender que um casamento por conveniência não é nada daquilo que se imagina. Passa seus dias estudando e fazendo tudo que é preciso para se tornar uma rainha, mas o coração do príncipe gelado não vai facilitar sua vida.

No começo de seus dias na nova casa, Sophie é aquela personagem mais rebelde e que não quer fazer o que o tratado impõe, mas com medo de afetar sua única parente, sua avó, decide que vai sim aceitar se casar com Allan, mesmo que isso seja apenas por conveniência.

Decidida a resolver o problema, Sophie vai começar a conhecer melhor o príncipe e um romance permeia o ar.

Allan, no entanto, sabe, devido a uma maldição jogada por uma bruxa em seu pai e nele, que não poderá oferecer tudo que a jovem Sophie deseja. Então, porque se apaixonar sendo que tudo pode vir a desmoronar? 

Sendo assim, trata todos com o coração mais gelado possível. Sophie é uma personagem difícil de lidar e ao mesmo tempo muito teimosa. Logo, o coração do príncipe se atenta aos seus encantos e algo que não poderia acontecer vai dar muita abertura para a narrativa.

Além de tudo isso, como uma espécie de vingança, vários outros duques e feéricos da realeza começam a brincar com Sophie. Isso acaba se tornando um empecilho e ao mesmo tempo um baita problema para Allan.

É com esta narrativa que somos surpreendidos do começo ao fim da escrita de Jéssica. Ela conseguiu fazer alguns personagens bem marcantes, porém Sophie é daquelas bem chatinhas que dá muita vontade de matar.

Mas, tudo isso tem um propósito e foi por este motivo, que acabei relevando a chatice de Sophie. Allan, pelo contrário, é aquele personagem mais cativante e que, de certa forma, nos faz apaixonar cada vez mais.

O livro tem uma escrita fluída, porém para mim o começo foi bem devagar. Amei demais o final, que  foi o mais surpreendente em toda a narrativa e quero, com toda certeza, o segundo livro para ontem.

Levando todos estes aspectos em opinião, deixei o livro com 5 estrelas e está entre um dos meus favoritos deste ano. E você o que achou desta fantasia? Gosta de romances assim? Deixe todas as respostas nos comentários e vamos conversar mais sobre isso.

Como prometido, aí está a resenha de hoje. Espero que tenham gostado e nos vemos na sexta-feira com um falando sobre a série Bridgerton com todos os spoilers possíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário