Pular para o conteúdo principal

[LEITURA DA SEMANA] Dom Quixote - Miguel de Cervantes

   Fala aí galerinha, tudo bem com vocês?
   Espero que estejam todos ótimos e que estejam aproveitando a semana para colocar as mais diversas leituras em ordem. Hoje, o dia foi um pouco agitado para mim, tanto que só estou voltando agora muito tarde, mas prometo que será uma ótima postagem. Eu, no momento, ainda estou lendo Dom Quixote, que é aquela típica leitura difícil, mas muito boa, então o livro está demorando mais que o normal para ser concluída. Deixo para vocês um pouco de como é este livro, para que vocês possam aproveitar e conhecer um pouco mais da obra. Vamos lá?
    Sinopse: Dom Quixote de La Mancha não tem outros inimigos além dos que povoam sua mente enlouquecida. Seu cavalo não é um alazão imponente, seu escudeiro é um simples camponês da vizinhança e ele próprio foi ordenado cavaleiro por um estalajadeiro. Para completar, o narrador da história afirma se tratar de um relato de segunda mão, escrito pelo historiador árabe Cide Hamete Benengeli, e que seu trabalho se resume a compilar informações. Não é preciso avançar muito na leitura para perceber que Dom Quixote é bem diferente das novelas de cavalaria tradicionais - um gênero muito cultuado na Espanha do início do século XVII, apesar de tratar de uma instituição que já não existia havia muito tempo. A história do fidalgo que perde o juízo e parte pelo país para lutar em nome da justiça contém elementos que iriam dar início à tradição do romance moderno - como o humor, as digressões e reflexões de toda ordem, a oralidade nas falas, a metalinguagem - e marcariam o fim da Idade Média na literatura. Mas não foram apenas as inovações formais que garantiram a presença de Dom Quixote entre os grandes clássicos da literatura ocidental. Para milhões de pessoas que tiveram contato com a obra em suas mais diversas formas - adaptações para o público infantil e juvenil, histórias em quadrinhos, desenhos animados, peças de teatro, filmes e musicais -, o Cavaleiro da Triste Figura representa a capacidade de transformação do ser humano em busca de seus ideais, por mais obstinada, infrutífera e patética que essa luta possa parecer.
   E aí o que vocês acham deste clássico da literatura? Sei que muitos podem estranhar, mas é uma ótima pedida se você assim como eu ama um livro com muita aventura e algumas partes bem comicas e surpreendentes. Se já leram também comentem aqui, vou adorar saber quem já conseguiu concluir este calhamaço maravilhoso!
   Nos vemos amanhã com mais uma postagem e prometo será maravilhosa, assim como a de hoje, que mesmo tarde está sando com um conteúdo para vocês melhorarem suas leituras. Beijinhos e fui!

Comentários