Pular para o conteúdo principal

[RESENHA] O Engenhoso Fidalgo D. Quixote da Mancha vol. 1 – Miguel de Cervantes


   Fala aí galera! Tudo bem com vocês?
   Espero que sim e que estejam aproveitando muito essa semana. Hoje, vamos falar do primeiro volume publicado pela Abril Coleções de O Engenhoso Fidalgo D. Quixote da Mancha. D. Quixote é conhecido pelos clássicos filmes e peças teatrais, no qual ele se depara com um moinho de vento e lá pensa ser enormes gigantes, enquanto luta com eles. Sendo assim esta é apenas uma pequena parte do que conhecemos, mas claramente esta resenha vai aprofundar melhor para que vocês possam conhecer muito além de sua loucura. Vamos lá?
   Dom Quixote é um senhor que ama novelas de cavalaria e com isto acaba por ter a incrível ideia de que precisa sair em uma missão e ser um cavaleiro andante. Com isso, pega seu burrinho e segue cidades a fora em busca de novos desafios.
   Sem dinheiro e com sua loucura já avançada, ele começa indo em alguns lugares, no qual imagina ser um palácio, o que em sua realidade é apenas uma estalagem que pode ficar e permanecer durante a noite. Sendo assim, come por lá e dorme agradecendo imensamente ao estaleiro e como imagina que este é um rei apenas sai de lá e como aquele vê sua loucura aparentemente acaba apenas por explicar a ele que qualquer cavaleiro andante precisa ter consigo uma porcentagem de dinheiro para que possam pagar pelos serviços daqueles que os ajudam, mas mesmo assim o deixa partir.
   Seguindo seu caminho D. Quixote arranja uma briga e com isso fica todo machucado, porém de sorte por aquele caminho passa um conhecido seu, que o leva de volta a sua casa. Enquanto isso, na casa a filha de D. Quixote está preocupada junto da empregada, pois este havia sumido e quando veem que alguém o traz pensam logo em colocar um fim aos famosos livros, pois sua loucura havia de ter um fim.
   Com os livros já incendiados, D. Quixote acorda e não vendo mais o seu canto da leitura, pois estes também haviam trancado imagina que algo está errado e pensa já em partir novamente. No entanto desta vez ele chama um de seus amigos que é convencido por promessas de conquistas de reinos e com isso ele e seu fiel escudeiro Sancho Pança saem logo cedo para mais uma aventura.
   É com isso que seremos apresentados às mais loucas aventuras, pois D. Quixote com sua visão de apenas o que imagina criará muitos problemas, aos quais Sancho tenta evitar, mas como um escudeiro não pode falar muito e os falares são ignorados por D. Quixote as coisas que ele faz são de extrema importância para onde ele chegará.
   Bem galera para não deixar que a história fique maçante e que percam a vontade de ler termino o resumo por aqui e falo que amei o livro, mesmo este tendo uma linguagem bem rebuscada. Sua escrita é bem marcante para aquela época, pois muitas vezes somos pegos de surpresa para o que vai acontecer. Em relação a diagramação do livro confesso que adorei as edições de clássicos da Abril, pois além de terem as famosas páginas amarelas, que facilitam as leituras o livro é em capa dura e tem um marcado de tecido, como nos livros mais antigos mesmo, o que deixa ele mais lindo. A fonte é muito boa e compreensível, além de claro este livro ser repletos de marcações no rodapé, para a compreensão de algumas coisas.
   Espero então que vocês tenham gostado! E que assim como eu deem mais chances aos clássicos, pois de qualquer maneira existem ótimos livros independentemente da época em que estamos vivendo. Beijinhos e nos vemos amanhã.

Comentários