quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O Símbolo Perdido – Dan Brown


   Olá pessoal! Tudo bem com vocês? Hoje nesta deliciosa quarta-feira trouxe uma resenha de um livro que li no ano passado (me surpreendi muito também), que é bom, mas não diria o melhor do autor... 
   Em O Símbolo Perdido, Robert Langdon recebe uma ligação de um funcionário de seu amigo Peter, que o informa do pedido feito por Peter, para que este fosse para Washington D.C dar uma palestra de abertura de um importante evento. Langdon, sabendo que seu amigo não costuma chamar a não ser que ele realmente precise, acaba aceitando o convite e anota o número do voo para aquele mesmo dia. 
   Chegando a Washington, um motorista está a sua espera para levá-lo ao Capitólio, aonde seria feito o evento. Tendo menos de 10 minutos para chegar lá Robert, começa a correr muito para que tudo dê tempo e consegue por alguns milésimos de segundos, porém quando abre a porta do local, estava esperando uma sala repleta de pessoas o aguardando, porém estão lá apenas alguns turistas e começa a achar muito estranho, até que volta a ligar para o funcionário de Peter, porém ele começa a falar que capturou Peter e que só o deixará vivo se Langdon o ajudar a desvendar o mistério. Langdon achando que é tudo mentira o que este homem estava falando começa a gritar e falar que não ajudará em nada, pois não sabe de nada, mesmo que Peter tenha falado para este tal homem ligar para ele. 
   Após algum tempo de conversa o “raptor” diz que ele irá mostrar que está com Peter e neste mesmo instante uma criança grita, Langdon corre para o lugar e vê a mão de Peter no chão, somente a reconhece por causa do anel que nela está (um anel azul com duas fênix e que também é o símbolo de máximo na franco maçonaria). Após este incidente a polícia centralizada no Capitólio aparece e tenta afastar todos do local que estava localizada a mão de Peter. Trent, o chefe de polícia, recebe uma ligação da CIA que pergunta se algum Robert Langdon, está por lá, pois a chefe da CIA, Sato, que falar com ele, Trent acha muito estranho, mas acaba descobrindo quem é Langdon e passa o telefone e após alguns minutos de conversa Sato aparece no Capitólio e diz para o chefe da polícia que de agora em diante quem toma conta do caso é ela e que este caso é de segurança nacional.
   Em outra parte Katherine, irmã de Peter, tenta ligar para o celular do irmão, porém ele não atende, então acha muito isquisito, no entanto deixa várias mensagens e vai para seu laboratório, que o mesmo havia criado. Lá recebe uma ligação de um doutor perguntando o porquê Peter estar atrasado para sua consulta, muito curiosa ela acaba perguntando várias coisas e decide ir ver o tal médico. Quando chega, sente um calafrio e acha o rapaz, muito atraente, mas também tem receio, pois ele parece esconder algo. Conversam muito sobre coisas que ela não imaginava que ninguém conhecesse além dela e Peter.
   Após a consulta Catherine está voltando para seu laboratório e recebe uma mensagem de Peter dizendo para eles se encontrarem no laboratório e também falando para ela, que teriam uma visita e que era para ela deixar, o tal médico entrar em seu laboratório, que escondia muitos mistérios. Katherine tem uma assistente e pede para ela que encontre um texto e que também receba o convidado. No momento que esta assistente vai para trazer o convidado de Katherine, que ela recebe uma ligação de Robert, que fala para ela do que aconteceu com seu irmão e que também o rapaz que o pegara é muito perigoso. Nesse mesmo instante ela repara que sua assistente está demorando mais do que o esperado e começa a desconfiar do tal médico...
   Neste instante Mal’akh estava conversando com a assistente de Katherine e quando viu uma oportunidade perguntou sobre uma das salas, na qual a moça ficou muito empolgada em mostrar e mesmo que houvesse uma câmera reparou que ela não gravava em uma parte e lá conversando fez com que ninguém mais visse aquela moça. Após este momento ele deixou aquela sala em rumo a sala de Katherine e estava com o intuito de matá-la, porém acabou se deparando com uma entrada muito escura e não sabia como chegar no bloco 5... Katherine ligou para o segurança e perguntou, em qual lugar sua assistente estava, mas o segurança já havia dito que ela acabara de entrar no bloco 5 na primeira porta, porém ao mesmo tempo reparou que na câmera não havia visto ela sair somente o homem, Katherine ficou muito preocupada e não sabia como fugir do tal homem, então se colocou na porta de saída até que se deparou com alguém e tentou fugir...

   “O livro é muito legal e também aborda um tema mais filosófico o que nos deixa refletindo em muitos momentos. A parte mais difícil é quando o vilão acaba mostrando sua história com vários nomes e que só mais para o fim vamos perceber que é a mesma pessoa. O Símbolo Perdido, deixa ar de mistérios e é envolvente. Porém sua escrita pode ser um pouco cansativa e com muitos nomes e diferentes perspectivas temos um pouco de confusão ao ler, mas nada que nos prejudique a leitura. Recomendo a todos, mesmo que ele seja um pouco complicado (a leitura é simples, mas as visões de crenças que nele estão contidas fazem com que o leitor acabe se confrontando em ideias e assim parando para refelti-las).” T.P

   Espero que todos tenham gostado de mais uma resenha e se ficou curioso adquira o livro que vale muito apena, após ler todos os três livros que tinha de Dan Brown, posso definitivamente dizer que me apaixonei pela sua escrita. Beijinhos e até a próxima *--*

Nenhum comentário:

Postar um comentário