Pular para o conteúdo principal

Resenha: A Gente Ama, A Gente Sonha (Fabiane Ribeiro)


   Olá pessoal hoje estamos aqui para mais um post de outro livro da nossa autora parceira Fabiane Ribeiro e como sempre ela nos enlouquece, o livro é super legal. O livro se chama A Gente Ama, A Gente Sonha e o mesmo reflete o que o livro fala mesmo que de uma forma um pouco diferente.
   Fabiane Ribeiro no livro cria um futuro que podemos dizer que é possível sim existir, um mundo que as máquinas são mais importantes que tudo, que a natureza está acabada e que os sentimentos são comandados a não mais existirem, e assim a autora nos leva a um mundo no qual os Sentimentos são proibidos, os Sonhos também, e que somente nós humanos podemos salvá-lo.

   “Mais que nunca eu aprendi que os sentimentos são tão fortes que, quanto mais reprimidos, retornam com maior intensidade quando menos se espera.” – Vanessa – A gente ama, A gente sonha.

   A gente ama, a gente sonho é um livro que conta a estória de Zildhe e Vanessa (Nenê) e se passa nos anos 3000 ou mais que isso, pois a autora não deixa a informação explicita de que ano é só sabemos que é depois de 2900, que ela cita em uma das passagens do livro. Vanessa tem apenas 26 anos e vive na Cidade que Nunca Dorme, tal como Zildhe, além de ser uma Geradora, ou seja ela trabalha nos “partos” de crianças, pois eles eram feitos em incubadoras e lá mesmo eles nasciam e se apresentavam algum “problema” era-se dado uma Descarga.
   Zildhe é uma moça da classe baixa, tem 26 anos, já é considerada velha, e que estava correndo a procura de um posto de Oxigênio para que pudesse salvar sua vida pois a Cidade que Nunca Dorme era dominada por uma máquina, ou o que chamavam de O Maquinário.
   O Maquinário comandava toda a Cidade que Nunca Dorme, por causa de um fato antigo em que eles (O Maquinário e sua equipe) haviam conseguido livrar a cidade e assim se disseram donos do lugar, fazendo assim com que as pessoas pensassem e agissem como máquinas. As pessoas não tinham mais Sentimentos, nem Sonhos e não podiam se ver livres de Cúpulas, Bombas de Ar e outros artifícios que só os mais ricos possuíam. As classes eram divididas em P, M, R e E na qual as classes P e M eram as mais pobres e também as que mais sofriam e a R e E as mais ricas e que também as que mais sobreviviam. As pessoas das classes P e M tinham no máximo 26 anos e tinham que produzir um filho para que pudesse fazer seu trabalho quando morresse e as da classe R e E em torno de 119.
   Zildhe consegue chegar a um ponto de Oxigênio e assim consegue chegar ao hospital para ver se como estava seu filho, porém acaba desmaiando e morre nos braços de Vanessa que promete que salvará o filho de Zildhe da Descarga por falhas. Vanessa acaba fazendo com que a máquina que cuida do filho de Zildhe pare de funcionar pois se deixasse teria que dar a Descarga.
   Quando chega em sua casa Vanessa se encontra com seus irmãos Dominique e Junior e lá cada um tem uma máquina que ajuda-os a viver Lucy é sua robô ela além de ser curiosa é muito briguenta com a Violeta (robô de sua empregada Marina).
   Vanessa vira amiga de muitas pessoas no decorrer da estória Vitor, CJ, Gus, Bernardo (seu namorado que foi assim designado pelo Maquinário) e o “vizinho-mala” Johnny além de Júlio (o menino do futuro que encontra na Ilha).
   Vanessa tem sonhos que não são programados pela Máquina de Sonhos e conhece um homem por qual se apaixona porém não consegue saber quem é, pois o rosto dele fica embaçado.

   “Tentou de todas as formas, a cada novo passo por aqueles domínios já conhecidos de seus sonhos, pensar em detalhes que pudessem dizer-lhe de quem era a face misteriosa que a acompanhava e lhe dava forças.” – Vanessa – A gente ama, A gente sonha.

   Vanessa faz muitas perguntas em seus sonhos e anota informações no seu marcador que nunca havia utilizado (ela faz as anotações quando está dormindo e não sabe sequer de sua existência), nessas perguntas conhece uma criança que é Ele, que é o criador do mundo, e essa criança muda várias vezes de caras e corpos e deixa também um baú aonde se localiza todas as informações de que ela necessita para transformar o mundo igual ao dos Antigos com o céu azul e com várias árvores e animais.
   Quando se dá conta que necessita ajudar seu mundo acaba transtornando tudo para ajudar busca informações importantes, isso só ocorre com a perda de seu irmão para uma sombra, e assim necessita de ajuda que só irá encontrar na Ilha e com algumas pessoas amigas suas. Vitor a ajuda em muitas partes principalmente em salvar Peter, filho de Zildhe. Mas para tudo isso Vanessa tem que desafiar O Maquinário que quando descobre que ela possui sentimentos e que está sonhando a bani da cidade para a Ilha e é lá onde tudo acontece... a fuga... novas amizades... e a luta contra O Maquinário.

   “O livro é excelente eu me apaixonei pela estória e não tenho como descrever em poucas palavras o que eu senti do livro. A autora chama atenção no que eu citei acima, que há várias possibilidades do mundo que hoje temos não seja o mesmo em 3000 ou antes e isso mostra o quão estamos “estragando” o mundo. Também achei super interessante a ideia de fazer uma ligação na estória do meio ambiente e o romance lindo de Vanessa e ... essa eu vou deixar vocês descobrirem! Recomendo este livro a todos ele é muito legal e me interessou muito o envolvimento da autora com o meio ambiente.” T.P

   Esperamos que tenham gostado da resenha *-* Abraços e até a próxima!

   Resenha feita por:

Comentários

  1. Thami, a temática parece interessante. Estamos precisando repensar a forma com a qual estamos cuidando do planeta.

    Que bom que gostou da leitura!

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  2. Eu não conhecia a obra ainda. É preciso termos consciência e acho que esse livro nos ajuda a chegar nisso.
    Gostei.
    Estou realizando o book tour do meu livro. Caso queira participar, se inscreva em O mundo sob o meu olhar. Mas corra, as inscrições vão até domingo.

    ResponderExcluir
  3. Thami,eu simplesmente amei este livro,a leitura é suave,tocante e super instigante.Sim,pois você acaba que refletindo no que vai acontecer e vê que não impossibilidades para isso.
    A autora esta de parabéns por esta obra,um romance muito lindo e como você mencionou ela fala um pouco sobre o meio ambiente,e de como somos mal cuidadosos com ela.
    Amei sua resenha.Ela esta super atrativa e sem spoiller.

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir

Postar um comentário